Criação de peixe em Aldeia Bororo de Mato Grosso começa a dar resultados

A primeira despesca do projeto de aquicultura da Aldeia Meruri, no município de General Carneiro (MT), será feita nesta sexta-feira (16/04), a partir das 17h30, quando os índios bororos darão início aos rituais para começar a retirada dos peixes dos tanques implantados na aldeia. Este é o primeiro projeto aquícola desenvolvido pelo Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) voltado para povos indígenas.

A criação em cativeiro na Aldeia Meruri, cujos investimentos somaram R$ 283 mil desembolsados pelo MPA, tem como principal objetivo suprir os indígenas com peixe, um dos principais alimentos consumidos por eles. A produção excedente será comercializada na região e os recursos obtidos com essa venda deverão ser usados na compra de ração para os novos cardumes de alevinos (peixes jovens) que serão colocados nos tanques para engorda.

Nessa primeira despesca deverão ser retirados dos seis tanques, escavados em dois hectares da aldeia, cerca de 11 mil quilos de peixe, mas a capacidade total do projeto é de 15 mil quilos por ano. Os peixes criados no projeto são das espécies tambatinga e piau. A implantação do projeto contou com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai) que atestou o baixo impacto ambiental do criadouro para que a atividade pudesse ser legalizada.

O projeto da Aldeia Meruri contou ainda com a ajuda da Fazenda Bom Futuro, que cedeu os alevinos usados na criação, e do Frigorífico Primavera, que deverá comprar parte da produção ajudando a levantar os recursos necessários para compra de ração da próxima safra. O MPA está analisando a implantação de outros projetos voltados para povos indígenas e o próximo empreendimento deverá ser na Aldeia Queimada, dos índios Parecis, em Tangará da Serra, também em Mato Grosso.

A Aldeia Meruri fica no Km 113 da BR 70, sentido Barra do Garças-Cuiabá há 403 Km de Cuiabá. Os rituais da despesca começam nesta sexta-feira às 17h30 e deverão se estender por toda a noite. No sábado (17/04), começa efetivamente a despesca quando os peixes serão retirados dos tanques.

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.