Estudo revela que pesca predatória ameaça conservação do tubarão-azul


O pesquisador Jorge Eduardo Kotas, do Centro de Pesquisa e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral Sudeste e Sul (Cepsul), do Instituto Chico Mendes, publicou estudo científico na revista eletrônica Pan-American Journal of Aquatic Sciences, que mostra os danos causados pela pesca predatória do tubarão-azul no litoral de Itajaí (SC).

Entre os resultados, um dado alarmante: de 1997 a 2005, a frota de espinhel-de-superfície capturou essencialmente tubarões-azuis com tamanhos abaixo do comprimento médio de primeira maturação sexual para ambos os sexos. Esse tipo de pesca, segundo o estudo, compromete seriamente a conservação da espécie.

Intitulado “As capturas do tubarão-azul, Prionace glauca Linnaeus (Elasmobranchii, Carcharhinidae), na pescaria de espinhel-de-superfície (monofilamento), sediada em Itajaí (SC), Brasil”, o estudo avalia a estrutura de tamanhos e a distribuição das capturas do tubarão-azul pela frota espinheleira de superfície entre os anos de 1997 a 2005. O artigo completo pode ser acessado no endereço eletrônico: http://www.panamjas.org/Arquivos/PanamJAS_3(1)_61-74.pdf.

O tubarão-azul é o peixe cartilaginoso mais amplamente distribuído nos oceanos do mundo e o mais abundante nas capturas de espinhel pelágico. Conhecer a sua distribuição e os aspectos biológicos desta espécie é de extrema importância para sua conservação. O Cepsul é um centro especializado do Instituto Chico Mendes que atua em pesquisa e apoio à gestão ambiental na área da pesca na região Sudeste-Sul.

Fonte – Agência de Notícias do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.